Author Archive Antonio Honório de Abreu

Saiba mais…

UMA OPÇÃO DE TRABALHO COM JESUS

Aconteceu, dia 30/09/2018, a II Capacitação de Trabalhadores de Encontros de Juventude Espírita, na Sociedade Espírita Joanna de Ângelis, em Belo Horizonte sob a coordenação dos Departamentos de Mocidade/Juventude do 10º e do 27º CRE (Conselho Regional Espírita de Minas Gerais).

Considerando a diversidade dos encontros de jovens espíritas em Minas Gerais, a oportunidade de estreitar laços, partilhando conhecimentos, se revela pertinente e necessária. Tendo isso em vista, já ocorreu a primeira edição deste evento em agosto de 2016, e após isso, foi decidido realiza-lo bienalmente.

Através das atividades que abaixo serão descritas, o evento deste ano objetivou ofertar ao jovem atual trabalhador dos encontros de juventude vasto conjunto de experiências, vivências e métodos que vem sendo empregados na organização dos referidos encontros nas últimas décadas.

Unindo os corações, construiremos bases sólidas para a unificação!

Programação:
08:30h – 08:50h             Recepção
08:50h – 09h                 Abertura
9h – 10:30h                   Mesa-redonda: O que é ser trabalhador de encontros de juventude espírita?
10:30h – 11h                 Intervalo
11h – 12h                      Oficina I: O espírito de serviço
12h – 13:30h                 Almoço
13:30h – 15h                 Oficina II: Sobre as comissões que compõem os encontros
15h – 15:30                   Apresentação da AME/CRE – O que é Movimento Espírita Federativo?
15:30h -16h10               Apresentação artística – Grupo Espírita de Dança Iluminar – Espetáculo “Brasil”
16h10 – 16h30               Avaliação/ Finalização/Foto geral
16h30 – 17h                  Arrumação do espaço

A participação foi significativa, com cerca de 200 de jovens inscritos, vindos de 5 cidades, 50 casas espíritas e 13 encontros diferentes:

10º Conselho Regional Espírita:

  • 4 COMEBHs – Confraternização das Mocidades Espíritas de Belo Horizonte (Regionais Centro-Sul, Nordeste, Noroeste e Sudeste de BH),
  • 2 COMECEs – Confraternização das Mocidades Espíritas (Ciclo I) e Evangelizações (Regionais Nordeste e Noroeste de BH)
  • COJEALTO – Confraternização de Jovens Espíritas do Alto Paraopeba (Aliança Municipal Espírita de Conselheiro Lafayete/ Ouro Branco e Congonhas)

27º Conselho Regional Espírita:

  • CONJEB – Confratrenização das Juventudes Espíritas de Betim e região
  • COMECON – Confraternização das Mocidades Espíritas de Contagem

Também convidamos os seguintes encontros a fim de enviarem representantes:

  • COEREME – Confraternização Espírita da Região Metalúrgica – 10º CRE
  • COEREN – Confraternização Espírita da Regional Nordeste – AME BH
  • COMESPEL – Confraternização das Mocidades Espíritas de Pedro Leopoldo – 28º CRE

 

Para mediar as atividades listadas acima contamos com a presença amiga de diversos companheiros experientes, que fizeram parte da história da construção da COMEBH, da COMECON e dos outros encontros, capazes de orientar e incentivar a reflexão sobre os trabalhos do movimento juvenil, no sentido de aproximar o jovem dos ensinos de Jesus, sob luz da Doutrina Espírita. Portanto, várias gerações de trabalhadores se encontraram para trocar experiências e fortalecer a fé e o espírito de serviço nessa seara bendita.

“Quando o trabalhador converte o trabalho em alegria, o trabalho se transforma na alegria do trabalhador.” (Sinal Verde – “Dever e trabalho” – André Luiz/Chico Xavier)

Inspirada nessa citação, a mesa redonda teve como objetivo conscientizar os jovens trabalhadores da importância dos Encontros de Juventudes para o fortalecimento do Movimento Espírita, na divulgação e vivência do Espiritismo, abordando que a herança recebida dos anos anteriores auxilia o jovem na construção de um futuro melhor. Assim, por meio de depoimentos e uma conversa entre os componentes da mesa, o ponto principal era demonstrar que todas as atividades desenvolvidas são de extrema importância para os encontros, enfatizando que a oportunidade de trabalho com o Cristo deve sempre ser o objetivo fundamental de todos.

Carlos Malab, um dos fundadores da COMEBH, deu seu depoimento sobre como foi o início dessa organização, incentivando-nos ao estudo, ao compromisso com o trabalho e ao olhar atento ao passado, aos que vieram antes de nós, para darmos continuidade e engradecermos o esforço de muitos que fizeram parte da história de todos os encontros. Pablo F. Lima e Conceição Neres trabalharam os aspectos de ‘presente’ e ‘futuro’ do trabalho, respectivamente, engradecendo o momento com seus depoimentos emocionantes acerca da transformação íntima que tiveram com o trabalho e da grande responsabilidade que cada um possui na construção da nova era.

Para completar, saindo da plateia, de forma não planejada, descontraída e informal, Rogério Rocha respondeu a perguntas do público sobre a divisão da COMEBH em quatro regionais, e Márcio Pacheco, um dos atuais responsáveis pela SEJA, casa que sediou o encontro, emocionou a todos dando depoimentos de como foi auxiliar o próprio Carlos Malab na organização da primeira COMEBH e na organização da COEREN, na qual trabalha até hoje.

 

Pois qual é maior: quem está à mesa, ou quem serve? Porventura não é quem está à mesa? Eu, porém, entre vós sou como aquele que serve. Lucas, 22:27

A oficina I, inspirada no versículo acima, foi realizada no período da manhã, com membros de vários encontros e comissões, e conduzida por pessoas que fizeram parte da história desse trabalho.

Seu tema foi “O que é espírito de serviço?” e um de seus objetivos era refletir sobre a importância do trabalhador pensar no Encontro como um todo, não apenas na sua comissão. Enxergar que cada comissão tem seu valor e compõe o Encontro com suas especificidades, e assim, abrir a mente e o coração para servir ao Encontro onde se esteja precisando e não somente onde se deseja ou onde é mais cômodo.

Nesse sentido, também se estabeleceu como objetivo sensibilizar o jovem do quanto é importante a troca de experiências promovida em oportunidades como essa, da Capacitação, para o crescimento interior, o crescimento da comissão em que atua, do Encontro em que trabalha e também de sua casa espírita. Todos os trabalhadores estão sendo guiados por Cristo e buscam seu aperfeiçoamento servindo ao outro. Demonstrar esse ponto em comum revela a base para a criação de um laço de união entre os seareiros, desenvolvendo a humildade e podendo favorecer a troca de boas práticas e de soluções para dificuldades comuns ou individuais, tendo em vista a continuidade do Movimento Espírita e a sua unificação.

Já na oficina II, realizada no período da tarde, foram convidados trabalhadores que estiveram à frente das comissões e que possuíam experiência para conduzir a troca de experiências, de práticas e também de compartilhar formas de superar desafios. Artes, Integração, Manutenção/Serviços gerais, Divulgação, Secretaria/Multimeios, Coordenação Geral, Estudos, Nutrição e Criatividade/Mutral foram as comissões contempladas nas oficinas.

Os jovens puderam conversar sobre pontos importantes das tarefas que realizam, por exemplo, o objetivo da comissão na construção do Encontro, o papel de cada um em relação aos confraternistas, a fim de refletir na profundidade de nossa escolha em ser trabalhador, e demandas específicas de cada grupo.

Após a oficina, o Departamento de Apoio à Juventude do 10º CRE realizou breve dinâmica de sensibilização sobre a importância de conhecer e participar de forma consciente do Movimento Espírita Federativo, apresentando seus componentes de forma lúdica e participativa.

Para finalizar, o Grupo Espírita de Dança Iluminar, do Centro Espírita Vinha de Luz – Ribeirão das Neves, apresentou o espetáculo “Brasil”, baseado na obra “Brasil, coração do mundo, pátria do evangelho”, emocionando os corações e conclamando-nos a contribuir na edificação dessa pátria bendita que nos aceita a cooperação!

Com a esperança advinda da fé raciocinada que tem nos sido ensinada pela bendita Doutrina dos Espíritos, e a gratidão por poder vivenciar “uma opção de trabalho com Jesus”, relembramos as palavras de Bezerra de Menezes, ainda tão atuais e necessárias, rogando a Jesus que elas levem ao coração de cada um que participou conosco a alegria que nos dirige as intenções:

“Solidários, seremos união. Separados uns dos outros seremos pontos de vista. Juntos, alcançaremos a realização de nossos propósitos.”

Até 2020!

Departamento de Apoio à Juventude –10º CRE

Departamento de Mocidades –27º CRE

8 Oficina do Estudo Minucioso do Evangelho de Jesus (EMEJ)

8ª Oficina do Estudo Minucioso do Evangelho de Jesus (EMEJ) reuniu, no último  19 de agosto, cerca de 50 tarefeiros espíritas na Sede Federativa da União Espírita Mineira (UEM) e COFEMG em um clima de muita integração e aprendizado.

Esta edição do Estudo, entretanto, visou à capacitação e aprimoramento de coordenadores de EMEJs que já acontecem nas Casas Espíritas, além de oferecer dicas interessantes para o bom funcionamento e melhor aproveitamento da reunião.

“Com a proposta que apresentamos nesta oitava edição, buscamos capacitar os coordenadores das reuniões do Estudo Minucioso e alinhar os trabalhos diante do plano e da metodologia propostos, além de sensibilizar para a ampliação do Estudo para mais Casa Espíritas”, explicou Magda Abreu, Coordenadora do EMEJ e da Área de Área de Estudo do Evangelho de Jesus (AEEJ) da UEM-COFEMG.

Antônio Neto, também Coordenador da AEEJ, ressaltou que a capacitação buscou,  ainda,  formar novos coordenadores de EMEJ. “Esta oficina teve um caráter específico por treinar quem já participa do EMEJ e tem interesse ou perspectiva de coordenar algum grupo de Estudo Minucioso do Evangelho”, acrescentou.

É o caso de Margareth Melo, que veio representando a AEEJ pela Aliança Municipal Espírita de Betim e 27º Conselho Regional Espírita. “Há três anos implantamos o EMEJ na região, e cerca de 12 Casas Espíritas já estão incorporando essa forma de divulgar o Evangelho de Jesus. Com a capacitação, esperamos ampliar a difusão, ganhar mais adesões e interessados em conhecer a metodologia de estudo”, afirmou.

A oficina do Estudo Minucioso do Evangelho de Jesus (EMEJ) é realizada pela Área de Estudo do Evangelho de Jesus (AEEJ) da UEM-COFEMG em parceria com o 10º Conselho Regional Espírita (CRE) e Aliança Municipal Espírita de Belo Horizonte (AME-BH).